Descubra como funciona a hipnose e em quais casos pode ser usada

Antes de saber como funciona a hipnose, é interessante conhecer um pouco sobre a sua origem. Esse termo é derivado da palavra grega “hypnos”, o Deus do sono, sendo considerado, no início do século XVIII, um estado de consciência semelhante ao que ocorre quando estamos dormindo. Nesse sentido, a denominação “sono de incubação” foi utilizada por muitos séculos para identificar os estados de transe em que ocorriam as curas.

Mas esse conceito sofreu diversas alterações, até que o psiquiatra e psicólogo americano Milton Erickson (1901-1980) desenvolveu a Hipnose Ericksoniana, utilizando o transe hipnótico, dissociado do sono, para tratamentos psicoterapêuticos. Continue lendo, para saber como a hipnose funciona e quando ela pode ser utilizada de maneira isolada ou combinada com outras terapias!

Como funciona a hipnose?

A hipnose age no giro anterior do Cíngulo (GAC), formado por um conjunto de neurônios que permite a comunicação entre o controle emocional (sistema límbico) e o racional (córtex). É nesse local que se localiza a maior quantidade de neurônios dopaminérgicos, que são responsáveis pela memória, emoções e outros fatores.

Uma sessão de hipnose começa com o processo de relaxamento, no qual o profissional mantém a mente do paciente ativa e induz uma atenção focada para permitir que ele se conecte com o subconsciente, onde ficam armazenadas memórias relacionadas ao problema apresentado.

Dessa forma, é possível processar determinadas informações e promover a sua ressignificação. Todo esse trabalho é feito de maneira gradual, realizado em diversas sessões por um profissional habilitado, até o momento da recuperação total da condição clínica do paciente.

Quem pode aplicar a hipnose?

A hipnose pode ser aplicada por Psicólogos, Psiquiatras, Dentistas, Fisioterapeutas, entre outros. Embora já exista regulamentação para a atuação desses profissionais, é importante que eles sejam capacitados em cursos de especialização na área.

A hipnose pode ser combinada com outras terapias alternativas?

Para potencializar os resultados da hipnose, a técnica pode ser combinada com as demais terapias alternativas, como Reiki, Yoga, Quiropraxia, Meditação, PNL – Programação Neurolinguística, entre outras. Essas associações podem ser utilizadas em práticas integrativas para o tratamento da maioria dos distúrbios emocionais, como fobias, ansiedade, insegurança, entre outros.

Para quais casos a hipnose é indicada?

A hipnose é indicada principalmente para as pessoas que apresentam um comportamento emocional indesejado, que interfere na sua qualidade de vida, como:

  • alcoolismo;
  • ansiedade;
  • baixa energia;
  • dermatites;
  • dificuldades na aprendizagem;
  • distúrbios sexuais masculinos e femininos;
  • estresse;
  • falta de concentração;
  • fobias;
  • insônia;
  • obesidade;
  • pânico;
  • rinite alérgica;
  • síndrome do intestino irritável;
  • tabagismo;
  • transtorno obsessivo compulsivo, entre outros.

Além disso, a hipnose também é indicada para os casos que envolvem dor física, como nos tratamentos dentários e em substituição às anestesias necessárias em cirurgias, para as pessoas que apresentam alergias. Há também os casos de amputados que sentem “dor fantasma” e se beneficiam com a técnica, bloqueando a memória do membro retirado.

Como vimos, saber como funciona a hipnose nos faz perceber a complexidade da mente humana e o poder da hipnoterapia para acessar as memórias armazenadas no subconsciente, fazendo com que elas sejam reprocessadas de maneira positiva.

Gostou deste texto? Continue a sua visita em nosso blog e aproveite para ler sobre autocura e autorregulação!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Thanks!

Fale com a unidade mais próxima de você!